Reloading – Locadora #009 – Metal Gear Solid

locadora-009

No nono episódio da Locadora do Reloading, Bruno Carvalho, Edu Aurrai e Felipe Mesquita falaram  sobre um dos maiores jogos do PS1, que colocou Hideo Kojima no radar do grande público: Metal Gear Solid.

Duração:  123 min

Comentados:

>Metal Gear (MSX)
>Metal Gear 2: Solid Snake
>Metal Gear Solid E3 1996 Trailer – Concept
>”Inspirações” para personagens de Metal Gear 2

[VÍDEO] Trailer do jogo do 99Vidas (PT-BR)
[VÍDEO] Trailer do jogo do 99Vidas (Inglês)
[LINK] Pré-venda do jogo do 99Vidas na Nuuvem

Envie seus e-mails com sugestões, críticas e comentários para ouvinte@reloading.com.br

Siga o Reloading no Twitter @reloadingbr

Curta nossa página no Facebook http://facebook.com/reloadingbr

Assine o nosso Feed http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

Ou no iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/reloading-atualize-se-gamer!/id991994199?mt=2

Problemas para localizar o Reloading no seu aplicativo de podcasts? Em vez de buscar pelo nome tente usar o link no campo de busca => http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

 

Compartilhe:
  • Bruno Apoli
  • Marcelo Eiras
    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Talvez por que o programa é de MGS 1 e a gente falou que não ia soltar spoiler do V? De repente é por isso… Vai saber…

  • Dcnauta Marvete

    O Locadora se supera a cada episódio. E olhem que nunca joguei qualquer Metal Gear…

  • Louelson Costa

    Muito legal o cast, joguei muito MGS no PS1.

    Um dos melhores jogos já feitos, de fato, apesar de algumas bizarrices que o Kojima colocou/coloca nos seu jogos, os pontes fortes do jogo superam essas coisas “estranhas”.

    Kojênio!

  • Eduardo Camolez

    O senhor Felipe Mesquita deu uma sumida no meio do cast, mas voltou para um final digno de um fã do Kojima! hahahahahahahaha Brincadeiras a parte, ótimas palavras, Felipe. E excelente cast, fiquei realmente tentado a voltar a jogar o Metal Gear Solid.

  • SmokeE3 .

    Ouvindo vocês discutir sobre vilões, e me fez rever todo um conteúdo mostrado por Kojima em um outro jogo, onde A Mãe, fala pra você: “O soldado é uma ferramenta política, e nada mais… …Certo e errado não tem lugar em sua missão. Ele não tem inimigos e nem amigos. Apenas a missão.” “…Então não existe tal coisa de inimigos em termos absolutos”.
    E isso quer dizer que não adianta você estar jogando o Solid Snake e matar aqueles soldados simples, pois eles não são seu inimigo, e o mesmo acontece com os chefões, mas você os derrota ou mata, não porque eles são seus inimigos, mas porque eles estão no seu caminho pra cumprir sua missão.

  • thenets

    Acho que depois de jogar AC, CoD, BF, Tomb Raider… Não dá pra jogar mais os MG, não. Tentei rodar aqui e o gameplay, pelo menos pra quem não jogou bastante na época, está injogável.
    Ficaria feliz se a Konami, ao invés de ficar fazendo aquele jogo de zumbi, fizesse remakes desses jogos. Deve ter muita gente capacitada e com a mentalidade do Kojima lá, ainda. Eles devem conseguir criar remakes incríveis. Ai acho que conseguiria jogar o Solid. (além de ser uma fábrica de dinheiro pra Konami)

    • SmokeE3 .

      cara, é relativo… fui jogar o Metal gear Solid pela primeira vez apenas em 2013 (nunca tendo jogado nada da série), e eu consegui ver o quão bom o jogo é. Não só em história, mas em mecânicas tbm.

      • thenets

        Eu entendo que tenha quem consiga desfrutar do jogo e é muito bom que isso aconteça. Não deixa a história ser perdida. É que pra mim, pelo menos, é muito estressante eu apertar pro snake fazer alguma coisa e ele não fazer. É a mesma frustração que eu tenho ao jogar AC1, que o Altair responde tudo errado aos comandos que eu aperto no controle.

  • Sandro Delgado

    Caramba como joguei esse jogo no ps1, muito bom o enrendo então d+.

  • Diogo Maia

    Seria possível levar Metal Gear para o cinema?

    • SmokeE3 .

      existe 2 filmes do metal gear solid já (ambos inclusos no HD collection do PS3)

  • Almighty

    Eu odiei o jogo na época do lançamento. Ignorei a franquia até o final de 2014, quando passou aquele trailer maravilhoso do Phantom Pain na E3 e o Ground Zeroes foi lançado no PC. Joguei o GZ, adorei e corri atrás da série Solid. Zerei todos no ano passado, inclusive o Portable Ops (fiz review de todos lá no Vortex Cultural). Comprei o MGS4 pra jogar num PS3 emprestado. Me tornei um grande fã da série e me xinguei por ter ignorado essa maravilha por tanto tempo.
    Eu gosto do MGS1, mas tenho críticas quanto à parte técnica. Gráficos nem critico, pra época são OK, apesar de os personagens não terem rosto (rendeu uma bela homenagem no MGS4). A jogabilidade é meio travada, a câmera é muito fechada no Snake (jogar sem o mini-mapa é masoquismo), é difícil mirar com as armas e a batalha/fuga no final eu acho a jogabilidade tenebrosa (Kojima se redimiu na porradaria final de MGS4). MGS2 melhorou alguns aspectos de jogabilidade, e permitir atirar em primeira pessoa foi algo excelente, além do que, é de longe o melhor Metal Gear no quesito história.
    Joguei a versão de PC, e na batalha do Psycho Mantis, Roy Campbell sugere utilizar o teclado para que o Mantis não preveja seus movimentos. É curioso que o áudio permanece o mesmo que na versão de PS1, o que muda são as legendas.
    Tem um canal excelente que conta toda a história de Metal Gear, jogo por jogo, com muitos detalhes, recomendo demais https://www.youtube.com/watch?v=sYZ1a2XQEvE

  • Gustavo Calastro

    Uhuu, ai sim! MGS1, ainda continua bom hein.

  • George Ayres

    Muito bom. O Metal Gear do MSX é um primor, muito bem feito,enredo fantástico feito pelo jovem Kojima, gráficos que eram os melhores da época, tanto que nenhum outro jogo do MSX supera o Metal Gear 1 e 2. A versão do nintendinho é capada por conta da limitação do console. O legal do Metal Gear é que muita coisa do 1 tem no do PS1, eu joguei com o detonado por conta do jogo ser todo em japonês. Eu recomendo muito esse jogo clássico!!!

  • Flavio Quest

    Excelente essa edição, senhores.

    Realmente foi muito impactante o lance do código do codec da Meryl na capa do jogo (e ferrou com nós pobres, que só tínhamos acesso à versão com “eyepatch”, que quase sempre tinha uma capa impressa em modo econômico com tinta de oitava categoria, borrada, heheheehe).

    Esse só não era já na época um conceito muito novo…Os antigos jogos de pc da década de 80 usavam esse mesmo recurso como anti-pirataria, pois os disquetes eram facilmente copiáveis. Era uma técnica chamada de “feelies”, com códigos ou até mesmo puzzles onde você tinha que acessar o manual do jogo, a caixa ou outros objetos físicos para poder prosseguir (como esse de Monkey Island, que tinha uma roleta com rostos de piratas que eram mostrados no jogo, e você tinha que inserir o código, quando estes apareciam http://www.oldgames.sk/docs/Dial-A-Pirate/ ).

    Tempos saudosos, mas difíceis. =P

    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Lembro bem dessa época, hehe. Tive muito game assim. =)