Reloading #043 – Oculus que Custam os Olhos da Cara

reloading-43

Nesse episódio, Bruno Carvalho, Edu Aurrai e Felipe Mesquita falaram sobre as novidades da Square para 2016, mais atrasos de exclusivos, números de vendas revelados por Sony e Microsoft, e o anúncio do preço do Oculus Rift.

Duração:  99 min

Comentados:

>Independent Games Festival 2016
>Kickstarter do ”RPG de Star Wars”

Envie seus e-mails com sugestões, críticas e comentários para ouvinte@reloading.com.br

Siga o Reloading no Twitter @reloadingbr

Curta nossa página no Facebook http://facebook.com/reloadingbr

Assine o nosso Feed http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

Ou no iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/reloading-atualize-se-gamer!/id991994199?mt=2

Problemas para localizar o Reloading no seu aplicativo de podcasts? Em vez de buscar pelo nome tente usar o link no campo de busca => http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

 

Compartilhe:
  • http://cevadabuster.com Rodrigão Meira F1

    Sobre os óculos, será que esse dispositivo vai mesmo se popularizar? O investimento apresentado pela empresa é enorme para o usuário final (Máquina + Óculos). Esse será o principal gargalo para sua popularização. Em tempo, o Reloading era o Podcast que faltava à minha lista. Sensacional. Parabéns !!!

  • brunomonte

    Poxa legal que citaram meu comentário no cast. Eu não tinha entendido então o significado de ganhar no grito de vocês. Pra mim, ganhar no grito é ganhar sem argumentos, literalmente, falando mais alto fazendo com que o outro desista de competir.

    Mas uma coisa é certa, essa não vai ser a geração dos exclusivos e sim de jogar com os amigos.

  • Robson Gonçalves

    A abstinência me consome…

    Onde Está o Reloading #44!?

  • Ion Dantas

    Ae o que significa “Early a doctor” e como se escreve porque da forma que eu estou escrevendo nem o google consegue entender hehe.

    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Early adopter. =)

      É a galera que pega a tecnologia logo quando é lançada independente do preço. =)

    • Auridian

      Aproveita e procura/veja o termo bleeding edge, na qual esta diretamente relacionada ao early adopter.

    • Ion Dantas

      Obrigado ><

      Da maneira que eu procurava não iria achar resultado nunca. hehe

  • Roger Vincoletto

    Será que Halo 5 realmente não vendeu bem?
    Chequei no vgchartz e ele vendeu 3,4M de cópias físicas, o que provavelmente leva o total com digital para 5M de unidades. Claro que boa parte foi após sair do preço full de 60 dolares, e muita coisa foi vendida em bundle, mas ainda acho um número muito bom considerando que o console possui 19M de unidades vendidas. Um ótimo attach ratio.

  • Guilherme Araujo

    Fui ver o RPG do star wars e para minha surpresa foi cancelado kkkk o engraçado é o titulo:
    Open World RPG “like” Star Wars(Canceled)
    Ja sobre o Rift é tenso.Vcs falaram tudo, pode ser melhor que o PVR, porem não vai ganhar o mercado.
    Bahh eu prefiro do modo antigo de falar os lançamentos da semana.
    O bruno enrolando para ganhar tempo foi fodaaa
    ótimo cast

  • Schmidt

    Quando vi o preço do Rift me assustei! Mesmo pro padrão americano está muito caro. Mas parece que as vendas começaram bem, porem acho que não vai longe. E a Sony vendo isso vai pensar mil vezes em lançar um acessorio tão caro.

  • daniel araujo

    VR= new kinect, todo mundo se impressiona com a tecnologia e no fim ela não vai servir pra nada ( nos jogos) fala sério quem vai pagar 600 dolarés em um trambolho gigante pra jogar golfe de robo gigante? developers sofrem para fazerem jogos AAA rodarem nos consoles em 900p 30 fps, e no pc a quantidade de pessoas que conseguem ter uma máquina descente para arriscar um game AAA em VR é minima , acho que a sony e o rift vão se afundar sozinhos, tecnologia muito a frente do seu tempo e focado em um nicho muito pequeno de pessoas que realmente vão comprar isso, acho a proposta do holo-lens da microsoft muito mais inteligente, por ser uma tecnologia não focada em games e sim em todo tipo de publico, seja para trabalho ou entretenimento, podendo quem sabe no futuro ser portado/adaptado para video-games.

  • Rodrigo Oliveira

    Olá a todos. Eu acredito que haja uma margem de segurança nas configurações minímas divulgadas. Como foi dito no cast, os requisitos para jogos hoje em dia estão sendo jogados muito “para o alto” e acho que o mesmo pode estar acontecendo com o rift. A configuração divulgada, acredito não ser a exigida para o funcionamento do oculus, mas a exigida para que ele funcione bem e sem necessidades de upgrades por um período aí de dois a três anos. É esperar pra ver.
    Em relação ao comentário do Bruno de que um PC que rodava um jogo na início da geração passada não seria capaz de rodar um jogo no fim da geração é uma meia verdade. Temos que levar em conta que durante a geração passada o PC fez a migração para o 1080p coisa que o PS3 e Xbox 360 não fez (pra falar a verdade, nem mesmo a geração atual fez isso totalmente ainda) Seria sim possível jogar os jogos mais atuais da geração passada com um PC velhinho se você os rodasse a 720p e com taxa de frames mais baixa como acontecia nos consoles. O mesmo acontecerá nessa geração. O PC migrará pouco a pouco para o 4k e quem quiser fazer uso dessa resolução terá sim que fazer upgrades pesados nos próximos anos. Quem ao contrário, continuar no full HD, provavelmente poderá manter suas configurações atuais por um bom tempo. Talvez não o tempo da geração toda como no caso dos consoles, mas por um bom tempo sim.
    Grande abraço a todos e parabéns pelo cast.

    • Auridian

      Concordo contigo, para vermos um exemplo, um jogo como o último Witcher seria plenamente capaz de ser lançado com todos os recursos que um PC de última geração tem. No entanto, a maioria das pessoas possuem um computador mediano (a Rockstar passou um tempo se esforçando para que o último jogo de sua franquia funcionasse até mesmo em um i3 abaixo de 3Ghz), não faria sentido lançar um jogo para um PC de última geração, uma vez que a maioria da galera não possui.

      Voltando ao The Witcher, muitas pessoas reclamaram do “downgrade”, sendo que tais pessoas (ou a maioria) não teriam uma máquina capaz de rodar aquilo.

      Mas em fim, estou muito satisfeito com meu jurássico (placa mãe de 2006) PC frankstein de 300 reais (comprei maior parte das peças usadas, claro) que consegue rodar jogos, que passaram pelo ps3, de forma tranquila.

  • Genilson

    Olá amigos, tenham um ótimo ano e obrigado pelo podcast, acompanho desde o primeiro e gosto muito!

    Estou aqui para comentar sobre o Oculus Rift, apesar de concordar em partes sobre o sucesso duvidoso do Rift tenho alguns comentários referente a posição dos senhores:

    Primeiro referente ao preço, apesar de ser salgado 🙁 acredito que uma boa campanha de market faça ele não assustar tanto se considerarmos que no sistema temos fones, microfones e monitor de alta definição fora as caracteriscas inerentes ao VR. Você é capaz de usar o seu PC somente com o gabinete/CPU e o Rift? Não, mas o Oculus não deixa de ser independente desses periféricos.

    Segundo referente a hardware, apesar de concordar com o Bruno sobre a vida útil de uma configuração de PC não podemos ignorar que as coisas mudaram, e que o PC já não é mais tão frankenstein assim, se considerarmos que o futuro dos games para PC a curto prazo com a chegada do DX12 e outras APIs com foco no desenvolvimento de baixo nível mais focado na GPU, não precisaremos mais fazer upgrades frequentes para rodar novos games que naturalmente passaram a serem melhor otimizados.

    Terceiro referente a utilidade de qualquer óculos de realidade virtual, por mais que para jogos seja necessário uma configuração parruda, o mesmo não acontece com os conteúdos pré renderizados como filmes, comerciais, animações… e eu acredito que à um grande mercado de pessoas não gamers que querem somente assistir algo podendo olhar para qualquer direção.

    Abraços, e novamente obrigado pelo podcast 🙂

    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Exatamente. Pelos exemplos que estávamos dando, desde lá da era PS2, se tu tivesse um hardware no PC compatível com a geração pareada, rodava os jogos tranquilamente. Essa config que estão indicando como “mínima” pro rift, aguenta de boa jogos da geração atual até ela terminar.

      Resta esperar pra ver como o PSVR vai se sair, mas minha opinião quanto ao sucesso do VR em games mudou de desconfiança para fail. Ao menos esse ano. E talvez nos próximos dois ou três.

  • https://www.youtube.com/user/canaldiprimeira Guilherme P. Silva

    Acabei de conhecer o podcast e já me apaixonei, na falta de um podcast de notícias de games acabei procurando por um e lembrei que o Bruno Carvalho participava de um outro podcast alem do 99vidas. Realmente muito legal, da vontade de participar das conversas e discutir os assuntos. Parabéns e continuem postando guys!

    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Valeu Guilherme!

    • pfnino

      Sim, parece que realmente estão conversando e não lendo pautas, a naturalidade deles tambem me cativou, pena que pararam de falar no final o jogo que jogaram na semana.

      • https://www.youtube.com/user/canaldiprimeira Guilherme P. Silva

        Rolava isso? Que da hora, vou roubar pro meu podcast engavetado aqui kkk

  • pfnino

    Show de cast como sempre, pra começar bem o ano nada como a frase: A vida as vezes te da um Reloading!!!

  • Wilton Pahim

    Bom dia, boa tarde, boa noite (dependendo da hora em que lerem esta mensagem) meus caros: Bruno, Edu, Felipe e todos os ouvintes do Reloading.

    Começaram muito bem o ano com este 1º programa de 2016. Com um destaque em espexcial para:

    Em relação ao papo sobre pirataria, ele se resume muito bem utilizando o exemplo citado de The Witcher 3 – The Wild Hunt. Pois quem comprou a midia fisica, no caso, não só ajudou a developer criadora do jogo como também foi agraciado de forma igual tendo o seu investimento recompensado por uma serie de itens e valores agregados ao jogo usados de forma a agradecer ao jogador gamer em questão por ter investido seu rico (e muuuuito suado) dinehiro nessa idéia. E caso isso se torne um padrão de exemplo as outras developers, o que espero e desejo muito que venha a acontecer, a pirataria por si só se manteria a um nicho minímo de pessoas no final das contas.

    Já quanto a saga de games “Assassino Cléber”, eu acho uma idéia justa e mais do que valida da Ubisoft de darem esta pausa de 1 ano de descanso a franquia. Na minha opinião a serie ficou extremamente saturada com o passar dos anos e erros em seus jogos, é claro que teve os seus pequenos acertos também, mas para mim eles perderam muito do seu brilho alcançado na época de “Ezio Auditore da Firenze” infelizmente.

    Quanto ao Oculos VR, eu vou literalmente “esperar pra ver” e não “pagar pra ver”. Esse preço é um total e completo absurdo com o público gamer.

    E pra encerrar: “A vida as vezes te da um Reloading” foi a melhor frase de todos os Reloadings lançados até hoje. Eu vejo camisetas do Reloading com essa frase chegando moleque! Hahahaha!!!

    Obrigado novamente, um ótimo fim de semana a todos e até semana que vem.

    Abraços!

    PS: Vocês teriam alguma noticia de como anda o projeto e futuro lançamento do game “Allison Road” meu amigos?!

    Este fã dO finado game “P.T” agradeceria demais qualquer informação. Aproveito para dizer que senti falta do comentário de vocês sobre a entrada de Hideo Kojima ao Hall da Fama da AIAS, onde o prêmio de introdução no Hall da Fama será entrega a Kojima por Guillermo Del Toro, seu colaborador no agora cancelado Silent Hills.

  • http://nerdindie.blogspot.com.br Sergio Rodrigo

    Baixando e ouvindo…..
    Essas capas estão cada dia melhores !! hahahahahahah
    Bruno, quantos oculos vai comprar ?

    Abraços !!! 😀

  • Jaime Nunes

    Sobre o Playstation VR, eu não faço ideia de como isso vai rodar, o ps4 já sofre pra rodar os jogos a 900p 30fps, imagina rodar acima dessa resolução a 120 fps e em duas telas? Pra mim nessa geração o VR não vai valer a pena.

    • Felipe Mesquita

      A gente comentou no cast. Ele vai vir com uma caixinha que vai ajudar no processamento e na renderização. Nessa foto da pra ver ela ali no canto direito:

      • Marcelo Fornazari

        Felipe, bom dia.
        Qual seu id da psn para uma hora dessas tentarmos um game on line?
        Forte abraço pra vocês ai do Reloading!

        • Felipe Mesquita

          Magaia17, adiciona lá falando que veio do Reloading pra eu saber!

      • Jaime Nunes

        Entendo, e isso é mais preocupante não? Já que ele vai oferecer um hardware adicional isso vai encarecer ainda mais o produto, se só o óculos já custa 600 dolares, o da Sony vai ter que fazer milagre.

        • Felipe Mesquita

          É mais isso é outro assunto que não tem nada a ver com a performance. Mas se eu tivesse que chutar, o PSVR vai custar menos que o Rift. A Sony ta numa posição melhor de fabricante de hardware, e hoje a gente descobriu pelo próprio Luckey que a Sony já experimentava com o VR até antes do KS do Oculus acontecer. Um headset em um sistema fechado é mais fácil de se trabalhar, e mais barato de se fazer, pelo menos enxergo assim, tomara que eu não queime a língua.

          • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

            Eu temo pelo poder de hardware do PSVR tb, começo a crer que aquela jujuzada de jogo merda que apresentaram na PSX não foi a toa. No final, teu comentário foi o mais sensato: ainda não é tempo dessa parada.

            • Jaime Nunes

              Hahaha realmente muitos jujus, e é o que eu fico pensando, os jogos vão ter que ser experiências menores, ou com gráficos ultrapassados pra rodar bem, ou o hardware adicional vai ter que ser muito potente, porém quanto mais potente for aquela caixinha ali que o Felipe postou, mais caro o produto vai ficar, então no meu ver, essa é a geração de testes pro produto, na próxima talvez não se precise da caixinha ou um PC de 1000 dolares. Mas vamos ver, eu torço muito por esta tecnologia.

            • Roger Vincoletto

              Acho que só teremos isso na proxima geração. Hoje o padrão da geração, pelo que tou sentindo, será 1080p 30fps. Para rodar DUAS telas a 1080 60fps, estamos falando de QUATRO vezes o processamento necessário hoje para os jogos de PS4. Logo, jogos complexos só na proxima geração, e nessa ficaremos com experiências mais Juju,

          • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

            Saudades Sega-VR.

    • http://reloading.com.br/ Edu Aurrai

      Cara, uma 970 é o suficiente pra aguentar tranquilamente jogos dessa geração e provavelmente vários da próxima. Era isso que eu tava falando quanto a jogar os specs lá no alto e que a tecnologia tende a se adaptar. Mas, pelo jeito, 2016 realmente não é o ano do VR.

  • Lissandro

    Olá, eu geralmente não faço comentários, porém não consegui ficar sem falar de como gostei de Lost Odyssey. Pra mim é o melhor RPG do Xbox360, e segundo melhor JRPG “da vida”, só fica atras de FFVII. Se possível gostaria de saber o porque de não terem gostado..
    PS.: o cara do RPG de Star Wars já cancelou o projeto

  • Inacreditavel_Neo

    Jááá???

  • Caiometal

    A desenvolvedora que vocês mencionaram era a Mistwalker. E The Last Story foi realmente incrível, um dos melhores rpgs que já joguei. Ainda bem que a Nintendo financiou esse jogo.

    Eu creio que um milhão de Tomb Raider é com os 500 mil de Xbox 360 e de Xbox One.

    Se não tiver Assassin’s Creed esse ano acho que é positivo pra franquia respirar. O Sindycate já foi ótimo e o Empire sendo no Egito só me anima ainda mais.

    Sobre Prince of Persia, eu descobri recentemente que a Ubisoft tem que dividir os lucros da franquia com a Red Orb e por isso ela preferiu criar o Assassin’s Creed e vem investindo nela já que ela recebe o lucro total.

    • Felipe Mesquita

      É, eu até falei isso com um cara que veio comentar desse rumor comigo. Ela criou o AC pra não ter que pagar licença pra usar o PoP mais, não vejo pq voltar com a franquia. Sem falar que esse rumor saiu desse cara aqui, que se tiver falando a verdade quebrou um NDA na cara dura e nunca mais vai ser convidado pra nada da Ubi hahahaha, até por isso acho difícil de acreditar tbm. https://www.youtube.com/watch?v=LiwFK_a4SdA

      • Auridian

        Assassin’s Creed foi praticamente gerado do Prince of Persia Warrior Within. Na época, o criador da série PoP (e que tinha participado da produção do Sands of Time, mas não da sequência) criticou duramente o WW por causa da violência e sensualidade, e os fãs foram junto com a vibe dele. O jogo não era ruim, e a Ubisoft sabia disso e aproveitou quase todos os conceitos de WW criando o AC, que era um PoP livre de amarras.