Reloading #093 – Eu lhe ROGO por UMA HISTÓRIA de STAR WARS

Nesse episódio, Bruno CarvalhoEdu Aurrai e Felipe Mesquita, falaram sobre o sucesso de Super Mario Run, a recepção a The Last Guardian, o lançamento do jogo do 99Vidas, e uma pitada de sessão Rewinding sobre Rogue One.

AVISO DE SPOILER: Comentários sobre Rogue One começam em 01h06m de programa.

Duração: 108 min

Comentados:

> Vídeo do “Creepy Watson”

Jogos da Semana

>Resident Evil 7 Biohazard Demo
>The Last Guardian
>Gears Of War 4

JOGO DO 99VIDAS NA STEAM!!!

Envie seus e-mails com sugestões, críticas e comentários para ouvinte@reloading.com.br

Siga o Reloading no Twitter @reloadingbr

Curta nossa página no Facebook http://facebook.com/reloadingbr

Assine o nosso Feed http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

Ou no iTuneshttps://itunes.apple.com/br/podcast/reloading-atualize-se-gamer!/id991994199?mt=2

Problemas para localizar o Reloading no seu aplicativo de podcasts? Em vez de buscar pelo nome tente usar o link no campo de busca => http://feeds.feedburner.com/reloadingBR

Compartilhe:
  • Rafael Pereira

    Bruno, continue só nos vídeos games. Explicado pq nunca foi no Rapaduracast.

  • Henrique Tavares

    Já assisti a cena do Darth Vader dezenas de vezes, inclusive algumas parando pra ver segundo por segundo e não vi falta de sincronia nenhuma, muito pelo contrário.

  • Louelson Costa

    Durante o debate sobre R1, eu achei que o Bruno ia mandar um: você tem todo o direito de estar errado. Hahahahahha

    Concordei em partes com os senhores: gostei mais do Ep. VII, mas R1 também é muito bom. Achei o começo arrastado também, queria saber mais dos “terroristas” lá do Guerrera.

    O Guerrera apareceu em Clone Wars, que é canon, e vai aparecer em Rebels também. É legal ter essas interconexões com as várias mídias, mas de forma organizada.

    Os personagens rejuvenescidos/ressuscitados eu achei razoável. No caso do Tarkin que apareceu mais tempo que a Leia, talvez fosse melhor ter colocado ele como holograma, tal qual o imperador no Ep. IV.

    Legal o cast, apesar da semana morna de notícias, o debate sobre R1 ficou muito legal.

  • Wilton Pahim

    Boa Tarde meus caros: Bruno, Edu, Felipe e todos os ouvintes do Reloading!

    Antes de mais nada, desejo um (atrasado) Feliz Natal e um (adiantado, porém precavido) Feliz Ano Novo para todos vocês que produzem e tambem aos que escutam este cast, dando longa vida ao mesmo!

    Parabéns tambem (ao Bruno e a todos os envolvidos) pelo jogo do 99 Vidas no Steam. Aguardo ansiosamente para repetir a minha experiência na BGS, dessa vez pelo meu PS4 no conforto da minha casa assim que o game sair para consoles.

    Estou seco e esturricado para jogar o The Last Guardian. Podem falar o que for do game em qualquer crítica de qualquer lugar no mundo, Ico e Shadow of The Colossus nunca foram perfeitos em todos os sentidos de um game mas isso nunca me impediu de adora-los e guardar carinho por eles, o que certamente acontecera tambem com The Last Guardian.

    Amei a demo do RE7, e mesmo com as comparações ao Outlast (o que não acho ruim) o game tem potencial para surpreender e muito aos fãs (assim como eu) do tempo que Resident Evil era um belo game de survivor horror e não encaminhado mais pra a ação como veio acontecendo nos últimos games da franquia.

    E eu não conhecia esse video do “Creepy Watson” até ver o link do video nessa postagem, que me deixou ao mesmo tempo encanado com essa perseguição bizarra quanto com a comédia da situação que me fez rir demais disso também. Hehe!

    Já sobre Rogue One, eu sou praticamente da mesma opinião que o Edu: Não tinha expectativa nenhuma para o filme, fui totalmente desinteressado ver (mais pra cumprir tabela por ser do universo de Star Wars) e sai totalmente maravilhado. Isso sim que é um “Esquadrão Suicida” de verdade (aprende Warner) e meus parabéns a Disney e a todos os envolvidos pela coragem em mandar um filme desses ao cinema. Sensacional mesmo!

    Enfim, novamente obrigado a todos por mais um ótimo programa e até ano que vem com mais Reloading no coração dos verdadeiros games.

    Fiquem com Deus meus amigos, abraços a todos e um Feliz 2017.

    Valeu!

    PS: Vá com Deus tambem Carrie Fisher, agora seja uma com a Força, nossa cara Princesa Leia!

  • Wesley Guedes

    Bem, sobre a demo de resident evil, eu estou muito feliz que a capcom esteja no sentido oposto do que foi o 6.Nessa demo percebemos alguns elementos clássicos de volta como: munição escassa, o fato de ser melhor as vezes tentar ignorar e fugir de um inimigo do que enfrentar ele, um personagem que não está preparado para enfrentar aquela situação, a volta de uma forma de jogabilidade onde você sabe que enfrentará um inimigo logo a frente, porém só o ve em cima da hora (antigamente isso era feito com a camera travada e a jogabilidade tanque, agora é feito através da visão em primeira pessoa que te limita a enxergar apenas o local onde você está olhando). Sobre aquele puzzle(o que a pessoa deve ter muito tempo livre, como mencionado no cast), creio que a intenção era demonstrar que os puzzles que realmente nos faziam pensar muito estão de volta, assim que vi esse puzzle, lembrei do VJOLT no re1, no da água lá no 3(aliás,esse dá água, pqp XD) e etc.
    Não sei como pessoas que jogaram as demos e viram os trailers dizem que isso não é resident evil, quem acompanhou as notícias e o que saiu até agora já tinha notado a forte influência de resident evil 1(isso a própria capcom falou, mas desnecessariamente ).
    Em um dos trailers tem o lance de um narrador falando sobre a notícia local do momento, enfatizando um jornal na mesa, igual a introdução do primeiro jogo. Enfim, me prolonguei até demais, essa é a minha visão sobre essa beleza que apreciaremos a partir de 24 de janeiro, se o jogo for o que a capcom anda mostrando, ela pode realmente ter aprendido com seus erros e quem sabe, trazer sequências mais parecidas com o que foi resident evil 2(até pq o 7 está sendo um fanservice tanto para os fãs antigos como para esse novo publico que surgiu com mais força após jogos como amnésia e dead space 1) .

  • http://www.zelda.com.br/ Twero

    Sobre o Rogue One, eu já penso o oposto do Bruno: na hora que o Tarkin apareceu, eu notei na hora que era CG e também estranhei, mas quando a Leia apareceu, todo mundo na minha sessão ficou abismado (e olha que eu tava numa sessão bem comportada, nego não gritou nem quando o Darth Vader ou R2-D2 e C3P-O apareceram, só nessa cena final)com a qualidade que ela ficou!
    Não sei se é porque renderizar todas as rugas do Peter Cunning é muito mais difícil, ou porque a princesa Leia aparece muito rápido, mas o dela ficou muito bom na minha opinião.

    Além disso, gostei muito das batalhas espaciais, ouso dizer que foi o melhor embate de toda a saga até o presente momento, me lembrando até um pouco Star Fox.

  • http://www.nerdologialternativa.com.br/ Marcel

    Amigos,

    Primeiro gostaria de dizer que o jogo do 99vidas valeu a espera. Que jogo divertido e difícil, inimigos como o Tetinha me recordam da raiva que eu tinha de encarar os Andores no Final Fight.

    Alias, gostaria de ressaltar como fiquei muito feliz com o suporte da QUByte. Tive um problema no meu jogo e o pessoal da QUByte foi extremamente solicito em me ajudar a resolver o problema. Quem dera todas as empresas brasileiras tivessem o mesmo empenho. 🙂

    Quanto ao filme, eu tenho uma posição semelhante ao do Edu, apesar de não ter a mesma empolgação que ele hehehe. Quanto aos personagens em CGI, confesso que só me incomodei mesmo com Leia (as feições dela realmente ficaram muito estranhas), mas de forma geral eu curti ver os velhos conhecidos novamente em tela. Ver o Moff Tarkin com o rosto do Peter Cushing foi sensacional.

    Quanto ao Darth Vader, eu gostei muito da participação do personagem. As pontas do personagem conseguiram ser melhores que toda a Trilogia Pequel do Sr. Lucas. 😛

    Um grande abraço a todos!

  • Gustavo Dias Gonçalves

    Branquelas é um bom filme de comédia.

  • Diogo Maia

    Pra mim Rogue One é o filme do ano.